Alunos da Rede Estadual de Ensino da Baixada Santista poderão ficar sem aula durante os próximos dias

Alunos da rede estadual de ensino da Baixada Santista poderão ficar sem aula durante os próximos dias devido a paralisação dos docentes. O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo fará Assembleia no MASP dia 20 de junho às 14h, uma das principais reivindicações é a Revogação do Decreto 53037/08, que impõe vários prejuízos à categoria, entre eles, trabalhar em outra cidade.

Em reunião realizada no dia 13 de junho cerca de 30 mil professores aprovaram greve com início imediato até o momento, as escolas da região não foram atingidas pela paralisação, no entanto, cerca de 50% das unidades em todo o Estado já aderiram à greve. Os docentes reclamam dos baixos salários e a não alteração na contratação, substituição e remoção de professores para suas respectivas cidades.

A educação é de grande importância para o crescimento pessoal e profissional do ser humano, sendo assim, é importante que você se qualifique em uma escola de qualidade. Mas, se você não tiver condições não é problema, pois o programa Educa Mais Brasil fornece bolsas de estudos de até 70%.

Essas bolsas de estudos são para todos os níveis de ensino, desde o básico até a pós-graduação, a sua inscrição no Educa Mais pode ser realizada através do site do programa durante o ano todo. Assim, não há mais desculpas.

Quando o profissional presta concurso público, não sabe para qual cidade será encaminhado. Sendo assim, segundo o artigo 22, ele poderá pedir transferência para a sua cidade após três anos de trabalho na escola.

Além do Decreto 53037/08 os profissionais também reivindicam reajuste salarial, novo plano de carreira, fim da aprovação automática dos alunos, liberdade de cátedra, gestão democrática e autonomia da escola, limitação de alunos por sala de aula, melhores condições de trabalho, políticas adequadas para acabar com a violência nas escolas, gratificações, concurso público estadual, garantia de emprego e estabilidade a todos os professores e revogação da lei 1041/08 que limita a falta médica.

Segundo o sindicato dos professores, a greve é um direito constitucional, aprovada legitimamente pelos professores e foi o último recurso encontrado para que o governo respeite os profissionais e os alunos e atenda a pauta de reivindicações da categoria.

A Secretaria de educação recomenda que os alunos continuem frequentando normalmente as aulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *